1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Longe do pijama

28 de novembro de 2010 2 comentários
Com os filhos criados e longe de casa,
marido (ou esposas) enterradas, a vida acabou? 

Só se esta fora a opção de quem prefere viver dentro de um pijama. Muitos idosos já adotaram a postura contrária, onde a prioridade é o próprio bem estar. Tereza Piva, 83 anos, mora sozinha e é frequentadora assídua das aulas de ginástica da Associação os Aposentados e Pensionistas de Sorocaba. “São só dois dias por semana. É  pouco”, brinca. “Quando faço ginástica, durmo bem. Gosto de ser ativa e estar em movimento”.

Animada e falante, ela costuma chegar mais cedo às aulas só para colocar a conversa em dia. E assunto é o que não falta para dona Tereza, que passou da idade de ter papas na língua. Há  37 anos  está viúva após um casamento dolorido, onde recebeu até a visita da amante do marido. Depois do último namorado, há 10 anos, Tereza só pensa em se cuidar. “Cueca só na cadeira. Na gaveta, nunca mais”, brinca. 

A aposentada Therezinha de Jesus dos Santos, 78 anos, é a ativa presidente da Associação de Aposentados. Não para um minuto, atendendo as pessoas e preparando a mudança da entidade para o novo prédio. “A situação é ruim, o aumento para os aposentados nunca vem”, critica. Apesar disso, há  maior  reconhecimento da condição do idoso, que deixou a passividade de lado. 

Aos 72 anos, Eunice Domingues, é declaradamente vaidosa. O batom é item indispensável em sua bolsa, sobretudo quando vai sair.  Cabelos pintados, salto alto, perfume impecável e  namorado a tiracolo, ela  está pronta para se divertir nos bailes da terceira idade no Sesi de Votorantim.  “Sozinha não tem como ir. Senão fica sem dançar. Tem muita mulher lá”, avisa. Em pose de matriarca,  ela faz questão de manter a independência, diz que a moda agora é ficar e nem pensa em morar junto.  “A vantagem de ser idoso é a liberdade de escolha”, diz.

O segredo de uma velhice saudável e antecipar os cuidados, avisa o médico Antonio Carlos Guerra da Cunha. Mais do que cuidar do corpo, garante, é também preciso cuidar da cabeça, dos valores e das emoções.
“O pessoal mais jovem precisar observar que todos ficaremos velhos. O corpo se desgasta naturalmente”, aponta o médico.
Segundo ele, é importante ter uma vida adulta voltada aos valores familiares e o fortalecimento de laços de afeto e respeito. 
“Uma velhice sem esperança é uma velhice acabada . Dizem que quem não teve infância não amadurece. Eu acrescento: quem não teve juízo, não tem uma velhice serena”, aponta.

Condição física e motora preservada
Para os especialistas na área é preciso cuidado para preservar  a condição física e motora como forma de evitar quedas. Elas podem ser prejudicadas por diversos fatores, entre eles o efeito de  medicamentos, tonturas, problemas oftalmológicos, fraqueza muscular ou de audição.
Nada de  obstáculos pela frente
As quedas também são provocadas por causas externas. As mais comuns são os obstáculos como móveis, tapetes, falta de iluminação, degraus ou calçadas esburacadas.

Fonte: Maisde50
Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

2 comentários:

welze disse...

Ô gente saculejada. que delícia ler mais um pouquinho sobre essas pessoas que me falam de tão pertinho. adorei o post. boa semana

Leci Irene disse...

Penso... e repenso: que vou fazer ao me aposentar?

Ocorreu um erro neste gadget