1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

GH o O hormônio da ilusão

28 de setembro de 2008 2 comentários

Um estudo põe na berlinda o GH, uma das substâncias mais populares no combate ao envelhecimento.

A luta da ciência contra a ação do tempo, os hormônios são as apostas mais recentes. Como o conhecimento sobre o papel dessas substâncias ainda é limitado, não raro se investe em uma delas que, algum tempo depois, se revela inócua, quando não perigosa. O alvo da vez é o GH, sigla em inglês para o hormônio do crescimento, popular sobretudo nas academias de ginástica, graças a seus supostos poderes de aumentar músculos, reduzir gordura e melhorar a disposição. Na última edição da revista médica Annals of Internal Medicine, foi publicado o mais importante estudo de revisão já feito sobre o impacto da reposição de GH na saúde de homens e mulheres. O trabalho, realizado por pesquisadores da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, analisou 31 estudos científicos, considerados os mais significativos sobre o tema, e chegou à seguinte conclusão: o hormônio do crescimento não tem nenhuma serventia para conter o processo de envelhecimento. "Nada justifica sua prescrição com essa finalidade", disse a VEJA o médico Hau Liu, um dos autores do estudo. O uso do hormônio sem critério, em pessoas saudáveis, pode levar a insuficiência cardíaca e diabetes e estimular o crescimento de tumores. Inchaços e dores articulares também são alguns dos efeitos adversos relatados por usuários da substância. "Pessoas saudáveis que apelam para o GH com o intuito de emagrecer ou rejuvenescer acreditam em uma mentira propagada em academias de ginástica e por médicos charlatães", diz o endocrinologista Alfredo Halpern, professor da Universidade de São Paulo e autor de um trabalho sobre o assunto. As injeções são caras – ao redor de 15.000 dólares por ano.

O hormônio do crescimento é responsável, entre outras funções, pelo controle da multiplicação celular, pela distribuição de gordura e pela formação de músculos. Com a idade, a produção de GH tende a diminuir – o que não significa necessariamente que doses extras do hormônio possam deter a ação do tempo sobre o organismo. "O envelhecimento é um processo muito mais complexo do que a simples alteração nos níveis sanguíneos de um hormônio", diz o endocrinologista Freddy Goldberg, de São Paulo. Oficialmente a terapia de reposição de GH é indicada apenas para crianças com baixa estatura por deficiência da substância e para adultos com queda hormonal grave. O uso do hormônio sem supervisão médica pode desequilibrar a química do organismo e desencadear doenças graves.

Fontes: MEDLINE VEJA on-line

2 comentários:

Anonymous disse...

Flor,

A sua alta generosidade só faz aumentar minha admiração. Ótimo esclarecimento. beijo no teu coração.
gabriel

Rosana Athie disse...

Você sabia que vivem oferecendo esse GH nas academias de ginástica, aqui em Rio Claro? Muito obrigada por alertar.

Ocorreu um erro neste gadget