1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

No dia Municipal de Combate ao Estresse, SBH - (Sociedade Brasileira de Hipertensão) orienta os paulistanos.

22 de setembro de 2008 comente


Aumentar Letras Ctrl+ A A A


São Paulo terá dia de combate ao estresse


No dia Municipal de Combate ao Estresse, SBH orienta os paulistanos

A doença que é sinônimo de vida moderna ganhou uma data de combate, instituída por Lei, na cidade mais agitada do país: 23 de setembro. No Brasil 70% da população econômicamente ativa sobre deste mal, e no Estado paulistano são mais de 37%.

Os principais sintomas do estresse são os sinais de cansaço, dor na coluna, sentimento de medo e agressividade constantes, diminuição da produtividade e eficiência, perda de memória, aceleração do batimento cardíaco, irritação, entre outros.

O estresse está associado diretamente às doenças do coração e à hipertensão arterial. Preocupada com o índice representativo de pessoas estressadas que são cometidas por pressão alta, a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH) reforça alguns cuidados que devemos ter.

O controle do estresse emocional é necessário para a prevenção primária da hipertensão arterial. O treino desse controle resulta em: redução da reatividade cardiovascular, redução de variabilidade e redução da pressão arterial, sendo recomendado não só para hipertensos, mas também para aqueles com tendências de desenvolver a doença.

Segundo a V Diretrizes Brasileira de Hipertensão Arterial há evidências de uma relação entre estresse emocional e aumento da pressão arterial e da reatividade cardiovascular, sendo essa aumentada ao estresse um fator de desenvolvimento da hipertensão arterial. O estresse crônico também pode contribuir.

Estudos demonstram que esta associação sugere que o medo crônico, a ansiedade, a solidão e a depressão podem ser causa de mortes em pessoas com doenças do coração. O estresse libera um hormônio constritor (a adrenalina) que elevaria a pressão arterial. Em indivíduos não propensos à hipertensão, o organismo liberaria um segundo hormônio, um vasodilatador, a dopamina, impedindo que a pressão se mantenha alta.

“A rotina do mundo atual faz com que as pessoas não se atentem aos hábitos e exercícios que ajudam a exercitar corpo e mente e, deixam somente, que o cansaço e as dificuldades predominem causando assim, o estresse.”, afirma Dr. Artur Beltrame Ribeiro, presidente da Sociedade Brasileira de Hipertensão.

AS INFORMAÇÕES SOBRE SAÚDE DISPONÍVEIS NESTE BLOG TEM O PAPEL DE ORIENTAR E NUNCA SUBSTITUIR, A RELAÇÃO EXISTENTE ENTRE OS VISITANTES DO BLOG E OS SEUS MÉDICOS E/OU PRESTADORES DE CUIDADOS DE SAÚDE

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget