1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Ouça o seu coração

23 de janeiro de 2014 comente
O coração é um músculo incansável. Trabalha nossa vida inteira. Dia e noite desde os primórdios da vida intrauterina, até o nosso suspiro final. Acompanha nossos passos e nossas emoções. Sabe quando deve bater mais rápido e tenta “descansar” um pouco enquanto dormimos. Mas quando o despertador toca, é ele quem nos acorda num sobressalto. Em uma situação de estresse acelera a ponto de quase “sair pela boca”... e nos prepara para tomar uma atitude.

Por isso o coração deve ser muito bem nutrido, o que significa, principalmente, ser bem oxigenado. As principais artérias responsáveis por isso são as coronárias. Elas tem a função de irrigar e oxigenar as células cardíacas.

Porém, quando uma placa de gordura obstrui alguma destas artérias ou um de seus ramos, o oxigênio e outros nutrientes como a glicose, por exemplo, não chegam às células. Resultado: uma região do coração entra em sofrimento. Necrosa. Isso é o infarto. Pode acontecer com homens ou com mulheres. Por isso é muito importante saber os sinais e sintomas em ambos os sexos porque eles podem sim, se apresentar de forma diferente.

O sintoma clássico de infarto é a dor ou sensação de “aperto”no peito. A intensidade pode variar de pessoa para pessoa. Esta dor no peito pode se irradiar para a região do pescoço, queixo, ombros e braços. Geralmente o braço esquerdo é o mais acometido. Sintomas digestivos são também muito recorrentes: Sensação de azia, náuseas, vômitos, tontura e, muitas vezes, desmaios. E é exatamente ai que está a maior diferença entre homens e mulheres. Ambos podem ter estes sintomas, mas nas mulheres os sintomas digestivos são muito comuns. Por isso muitas vezes as mulheres demoram para buscar atendimento médico, supondo apenas que estão com um problema digestivo. Fique alerta: se você apresentar azia intensa associada ou não a estes sintomas, procure imediatamente ajuda médica.

Procure sempre entender a linguagem do seu coração! Saúde!
Dra. Ana Escobar

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget