1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Automedicação NÃO!

5 de fevereiro de 2010 7 comentários
Desculpem a insistência, pode parecer exagero, mas o uso de medicamento, mesmo o mais simples e corriqueiro comprimido para dor de cabeça, exige de nós todos, responsabilidade e boa dose de informação. Um remédio ingerido indevidamente pode matar. Apesar do perigo, a grande maioria dos brasileiros se automedica ou segue conselhos de quem não tem formação profissional para tanto. O correto é consultar um médico sempre que preciso.


Marcada a hora no médico, é importante que alguns procedimentos sejam seguidos. Não chegue atrasado à consulta, mantenha a calma e seja prático. Leve a lista dos remédios que já tomou ou está tomando, mais os resultados de exames.

Não esqueça de relatar tudo o que sentiu ou está sentindo (sintomas), os efeitos indesejáveis que você observou quando tomou os remédios, ou se tem algum tipo de alergia a medicamentos, se você se consultou com outros médicos, o que lhe foi receitado e as orientações que recebeu para o tratamento.

Fique atento quando o médico lhe entregar a receita. Não tenha vergonha de pedir que ele leia e lhe explique o que está escrito. Não volte para casa com dúvidas, faça perguntas, principalmente sobre o nome, a dosagem e a forma de apresentação do medicamento, assim como quantas caixas ou vidros devem ser comprados. Esclareça o quanto do produto deve ser tomado de cada vez, quantas vezes por dia e em que horários. Pergunte se remédio deve ser ingerido junto com algum alimento ou bebida e por quanto tempo você deverá tomá-lo. Por fim, informe-se sobre a necessidade, ou não, de uma segunda consulta.

Não esqueça ainda de anotar o número do telefone do médico para contato em caso de emergência, ou mesmo quando não encontrar os medicamentos receitados.

Fique atento quando o médico lhe entregar a receita. Não tenha vergonha de pedir que leia tudo o que está escrito.

Após a consulta, tome os remédios indicados o mais rápido possível. Procure comprá-los em farmácias de sua confiança ou nas grandes redes de farmácias. Confira um por um, os medicamentos separados pelo balconista: veja se o que está escrito na embalagem coincide com o que está marcado na receita, inclusive a quantidade. Verifique o prazo de validade, o preço e pergunte se tem direito a algum desconto. Preste atenção também se as caixas dos remédios estão em boas condições: bem fechadas, sem manchas ou amassadas, lacradas, limpas e sem apresentar frasco ou tampa estufados.

Ao chegar em casa, faça uma tabela (o blog pode fornece gratuitamente essa tabela, basta solicitar longevidadeblog@gmail.com), escreva os nomes dos medicamentos e os horários certos de tomá-los. Coloque o seu cartaz em lugar visível. Para facilitar sua vida, adapte os horários dos remédios com seus hábitos: acordar, comer, deitar, assistir novela ou programa de televisão preferido. Procure não ingeri-los de madrugada para não atrapalhar o sono, a não ser que seja um antibiótico.

Outras dicas são importantes: Leia aqui


Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

7 comentários:

Sônia Silvino disse...

Silvia!
Dizem... que o povo brasileiro é um dos que mais se automedica...
Será por falta de informação, irresponsabilidade ou falência do sistema de saúde?
Bjkas, minha amiga!

Heloísa disse...

Silvia,
Todas as dicas, muito preciosas.
Mas, o importante seria uma campanha junto aos médicos para que, mesmo sem perguntas dos pacientes, eles dessem as explicações básicas. Tais como: tomar os comprimidos com água, tomar antes, ou depois das refeições (alguns remédios podem não surtir efeitos quando ingeridos em horários inadequados), não misturar determinados remédios etc.
Infelizmente essa parte da prescrição de remédios é muito falha, e os pacientes nem sempre estão atentos, ou têm condições para pedir todos os esclarecimentos necessários.
Beijos.

Lu Souza Brito disse...

Perfeita todas as dicas Silvia!!
A maioria as conhece, mas porque não as põe em prática?

Eu me automedico ás vezes, devo confessar (mas só na hora que o estomago está muito ruim e eu corro pro meu pe de boldo que fica no quintal e faço um chazinho, pronto. Rapidinho o estomago embrulhado fica bom!)

Agora uma coisa é certa, mesmo sabendo que o ideal é procurar orientação medica, me diga, no Brasil, qual a facilidade que se tem para marcar uma consulta, com um clinico geral que seja, para pessoas que dependem do SUS? Pode demorar até 2 meses. E para quem nao tem condições de recorrer a um particular, se for esperar por isso, morre na certa. Infelizmente a realidade é esta.

silvia masc disse...

Infelizmente Sônia, é a pura verdade, entendo até pela dificuldade
em consultar profissionais.

abraços e obrigada
pelo teu comentário

silvia masc disse...

Heloisa, aobsolutamente pertimente as suas colocações.porém acho que nós
podemos tentar "educar" os doutores, por isso insisto tanto nesse tema.

abraços e obrigada
pelo teu comentário

Silvia Masc disse...

Lú concordo plenamente com você, mas aida insisto que esse não é o melhor caminho, mascara is sintomas de algo que pode ser sério.

abraços e obrigada
pelo teu comentário

Leci Irene disse...

Oi... adorei o que li. Pior é o médico da Previdencia Social ter tempo de te escutar falar sobre as dores... Na maioria das vezes me calo parecendo que a pessoa à minha frente não me está a ouvir..então, lá vou eu para a automedicação!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Beijos

Ocorreu um erro neste gadget