1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Neurologista esclarece as verdades e os mitos sobre a memória

11 de maio de 2010 9 comentários

Todo esquecimento é sinal da doença de Alzheimer? Afinal, como deve ser a alimentação para deixar a memória afiada? Será que os exercícios físicos realmente fazem bem para o cérebro? Quando o assunto é memória fica difícil conseguir guardar tanta informação, e mais complicado ainda é saber quais dessas informações, de fato, são verdadeiras.


Por exemplo, lembra daquela velha história de que esquecer faz parte do envelhecimento? Esqueça. De acordo com a neurologista e membro do Departamento de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), Sônia Brucki, isso não passa de um mito. “A ideia de que com o passar dos anos a diminuição da memória seja normal não é verdade. O envelhecimento saudável propicia a preservação de nossas funções cognitivas, inclusive da memória”, afirma ela.

Aqui, a neurologista esclarece o que é verdade e o que não passa de mito.




Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

9 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Incrível como [e independente da idade] as pessoas desconsideram a necessidade de exercitar também o cérebro... muito enriquecedor o post...

;)

Beth/Lilás disse...

Silvia,
Li tudo e fico impressionada quando constato que minha mãe pode já estar entrando neste processo. Eu e minha irmã estamos fazendo o possível para cuidá-la e ela tem uma vida social inserida na religião dela, mas o os muitos remédios que toma para os problemas variados também são outro problema.
Rezo para que nada disso lhe aconteça, pelo menos por mais um tempo, peço que lhe seja concedida uma vida digna e saudável.
Adorei o texto.
bjs cariocas

Sônia Silvino disse...

Amiga! Tudo a ver comigo esse post, tu sabes, né? Ando muuuito esquecida! Valeu! Vou tentar não me estressar tanto com os problemas.
Adorei! Aqui é sempre o máximo!!!
Bjs! Muitos!!!

Chica disse...

Um artigo pra ser lido e frelido com muita atenção.ótima partilha essa! beijos,chica

welze disse...

estou de volta ao gostosuras e não me esqueci de vocês. vim lhes desejar uma ótima semana

milton toshiba disse...

Sempre ouvi que exercícios de memorização fossem benéficos, em qualquer idade, principalmente ais idosos. Eu, apesar de engenheiro, sempre tive dificuldades em fazer contas de cabeça e meu pai não se conformava. Fiz exercícios, ele me mostrava as teorias, enfim, na infância fui muito treinado, mas contas de cabeça me deixava apavorado. Mas fui sempre um dos primeiros alunos em matemática no Bandeirantes

=)

Leci Irene disse...

Humm... A coisa de não lembrar é tão aceita por nós que, ao chegarmos na idade dos "enta" e esquecermos algo, já nós mesmos dizemos: é a idade!!!!! Porém, nós sabemos que tudo tem uma causa, mas, como achamos que ter mais de cinquenta é ser velho, vamos deixando assim... Comodismo e não valorização do momento que vivemos!

Anny disse...

Silvia;
Adorei o assunnto.
Sabe como é? Estou sempre curiosa para saber mais.
Obrigada!

Beijjos.
Anny.

Jorge disse...

Silvia Masc,... A cura, o medo, os males individuais, dentro dos nossos grupos geneticos, tem influencia muito vitais diante deste mal tão infeliz, pertenço a uma geraçao que era pouco protegida, meu genitor foi daqui muito cedo, e minha mamãe, durou bem mais, já aos setenta e tres anos, se foi... e eu, por assistir aos dois, tenho minha grande duvida, já estou aos setenta e seis, e sei lá como, mas procuro manter acesa a chama da minha vida, a sua importancia na terceira idade é fundamental, é uma chama acesa a todos os idosos que acreditam na evoluçao, e na vida eterna! UM GRANDE ABRAÇO... do Jorge do fazendo Arte!

Ocorreu um erro neste gadget