1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Sugestão de leitura.

10 de maio de 2010 2 comentários
Sinopse

A trajetória literária de 30 anos permite que Lya Luft volte à cena num ensaio que reflete sobre os caminhos do nosso tempo. Caminhos e direções que, em sua multiplicidade, indicam não apenas paisagens distintas, mas, sobretudo, escolhas.

Em "Múltipla Escolha", Lya indaga, debate e transgride com o fervor de alguém que refuta a mediocridade e escolhe a vida. Como se sobre um palco, cercada de portas simbólicas, o complexo mundo contemporâneo à frente, a autora convoca sua "tribo" para o necessário ritual de pensar. Em foco, questões fundamentais, como a velhice e a juventude, os novos dilemas e tabus da sexualidade, a comunicação virtual, as fronteiras entre o privado e o público, drogas, violência, bondade e perversidade, o mal-estar social: elementos-chave da nossa rotina diária.

Fala sobre esses "mitos modernos" que criamos para se tornarem senhores de nossa vontade e sobre os quais pondera num diálogo aberto com o leitor. "Gosto desse jeito mais direto de falar com meu leitor sobre, no fundo, partes do drama existencial humano, e algumas loucuras da nossa sociedade, nossa cultura. Sobre nadar contra a correnteza para não naufragar no espírito de manada destes nossos tempos. Enfim, esse tipo de ensaio, no sentido mais original da palavra, 'ensaiar - discorrer sobre algum tema', é mais um modo de me expressar. Simples assim", argumenta Lya.

Lya também rebate a suposta liberdade que alcançamos. Longe de uma sociedade livre, somos, nessa nossa cultura impositiva tão cheia de obrigações, prisioneiros padecendo do que a autora chama de síndrome do "ter de". "O 'ter de' é um feitor de escravos muito cruel. Ter de ser magra, linda, inteligente, forte, rico, blablablabla. A mim, sempre fora do esquadro, me impressiona a crueldade do 'ter de ser' físico. Acho que nos valorizamos muito pouco enquanto seres humanos pensantes".
Da busca pela eterna juventude à ética na política, passando pelas transformações da família, Lya Luft mostra o quanto estamos enredados em práticas opressoras e que é importante assumir as rédeas de nossa vida e o caminho da nossa sociedade e cultura.

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

2 comentários:

Lu Souza Brito disse...

Olá Silvia?
Como passou o dia das mães?
Muito me interessou este livro. Conheço alguns fragmentos de textos dela, mas nunca li um livro. Porém,do pouco que já li escrito por ela, são belíssimas reflexões sobre a vida moderna né?
Vou anotar!
Beijinhos.

Chica disse...

Lya é sempre maravilhosa.Estou lendo dela O SILÊNCIO DOS AMANTES...Linda dica! uma semana bemlegal pra ti,beijos ,chica

Ocorreu um erro neste gadget