1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

De trator à quase uma pluma, é esse o meu objetivo.

26 de abril de 2010 24 comentários
Quem me conhece de perto, fatalmente irá perceber a minha inquietude, sou inquieta nos gestos, falo muito, me movimento muito rápido, sou ligada no 220.

Meu amor está fora do Brasil, temos nos falado via internet, com a Webcam ligada, ele gravou uma da nossa conversas e mandou o vídeo, eu fiquei impressionada como deve ser difícil pra ele falar comigo, já que o objetivo da Cam é nos vermos e sentirmos que estamos mais próximos, saio do foco da Cam há todos instante, mexo no cabelo, sou a própria caras e bocas, tenho uma mímica labial absurda, e gestos largos, o sorriso também viu pessoal? Ele mandou o vídeo sem fazer qualquer comentário a esse respeito, porém o objetivo atingiu o alvo, já que ele é todo zen, e eu a pulga atômica.

Um amigo há muito tempo, fez um comentário no Longevidade, sobre a minha também inquietude intelectual, já que me meto a navegar em tudo quanto é assunto, quem me vê usar o computador, deve se irritar, abro muitas páginas ao mesmo tempo, (haja memória RAM), tenho 53 anos, e pensava que ficaria mais tranqüila, e observo que isso não está acontecendo.

Uma vez resolvi fazer tai chi, acho lindo e um excelente exercício físico, para quem não gosta de alto impacto, consegui fazer três aulas, a música, ao invés de me acalmar , me irritava, contradizendo toda a filosofia preferia estar praticando ao som Thriller do Michael Jackson.

Observando-me, decidi que algo precisa mudar, deve ser difícil me acompanhar, ou aguentar. Recentemente comentando sobre isso com uma amiga, que era muito parecida comigo, resolvi por em prática algumas dicas que ela me deu, e como está funcionando, decidi compartilhar com vocês.

- Deixar mais leves os meus gestos: - me imaginando como uma borboleta visualizando isso, observando as borboletas, as vemos voar e mesmo quando voam rápido, o pouso é cheio de leveza.
- Falar mais baixo: imagine se as flores do planeta, quando desabrochassem o fizessem com barulho?
- Ouvir mais músicas clássicas, amo Bach e Vivaldi entre outros, e percebi que há muito não os ouvia.

Sinto-me mais calma, tenho trabalhando ao som de clássicos, em volume baixo, já que o meu trabalho implica em alguns telefonemas.

Não estou aqui, pregando que isso seja a fórmula ideal para todos, e não tenho a menor intenção em me tranformar em uma "mosquinha morta", há quem relaxe e seja leve dançando Zumba (não é Cristiane rs ?) mas, acho importante que tenhamos momentos de reflexão sobre nós mesmos, e que aceitemos os "toques" de quem nos vê com outras lentes e principalmente quando esses toques, vierem de pessoas que notóriamente nos amam.

Three Violins & Cello do vídeo abaixo é a minha preferida, até porque ela tem os seus acordes de calma e outros mais agitados, como eu sou ainda.

abraços,


A música, sobre qual me refiro, você poderá ouvir aqui

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

24 comentários:

Dora Regina disse...

Silvia, somos duas então, também já me disseram que sou ligada em 220...rsrsrs, no meu trabalho sou exatamente assim como você.
Um grande abraço!

Tati Pastorello disse...

Se este comportamento te incomoda, vale o custo. Nós somos seres de hábitos e mudar hábitos exige apenas treino e boa vontade. Não é tão difícil quanto nos fazem crer.
Mas tem que ser sua vontade, não vontade alheia!
Se assim for, que você seja uma borboleta, dançando Bach ou M. Jackson!
Beijos.

Silvia Masc disse...

A vontade é a minha Tati,me sinto cansada, e essa fadiga tem relação com a minha inquietude.Sinto que me fazer mais "silênciosa" me trará mais conforto.

Silvia Masc disse...

Dora, se isso não te incomoda, não há porque mudar, eu senti que esse
é o momento.

Cristiane A. Fetter disse...

Silvia, também sou parecida nisso com você, estou ligada na tomada o tempo todo e o problema é que isso as vezes dá curto circuito.
Tenho tanta energia que preciso descarregar isso e vivendo aqui nos Estados Unidos esta energia está ficando acumulada, por isso preciso de algo para relaxar, e a dança é o que mais me satisfaz, mas adoooooooro yoga, me sinto bem também, mas como um complemento, como o momento em que desligo de tudo e recarrego.
Adoraria fazer tai chi (vou perguntas a minha japonesa de estimação, ela prefere jogar tennis e quer que eu jogue com ela, pode?, é outra elétrica).
Eu me alto denomino mulher helitçopero, aquela que precisa fazer um barulhão e mexer muito os braços para enviar seu recado, além de tudo sou grande.
Quando tentei abafar este meu lado mulher trio elétrico me senti mal, não era eu de verdade, mas isso acontece quando estou com pessoas conhecidas, quando não passo despercebida (apesar do tamanho), engraçado né.
Be yourself.
Be happy.
bjks

Heloísa disse...

Silvia,
Eu também sempre fui muito acelerada, e parrando para pensar sobre isso escrevi um post há algum tempo. Convido-a a ler:
http://blogdavovohelo.blogspot.com/search/label/pressa
Obrigada pelos elogios às minhas fotos. É que sou muito fotogênica.
Obrigada, também, por estar acompanhando minha viagem.
Beijos.

Silvia Masc disse...

Heloisa, fui conferir o seu blog, e descobri que desde outubro de 2009, eu já percebia esse desconforto, data que eu lá comentei.
beijinho

Chica disse...

É bem assim...estamos sempre à milhão...Mas podemos fazer essa viagem interior que nos ajudda. Linda postagem,adorei!beijos,chica

Leci Irene disse...

É. Algumas precisam desligar. Outras, precisam de vez em quando ligar em 220 para ver se vão para a frente! Eu me imagino fazendo os exercicios que falas. Aí eu começo a rir - eu levaria muito tempo para me imaginar borboleta, já que na real sou uma igualzinha a uma elefanta! hehehehe
Mas, brincadeiras a parte, te desejo sorte....

Lu Souza disse...

Você acorda ligada no 220 não é? rsrs. Silvia, também sou uma pessoa inquieta, agitada. Mas há momentos que o corpo e a mente pede um pouco de sossego. Se algumas coisas estão te incomodando e o toque do seu amor te fez pensar a respeito, acho que deve considerar sim.
Ouvir musica tranquila é uma delícia. Para estes meus momentos, além das clássicas (tem uma coletanea de valsas), eu escuto Enya, jack Johnson...até meu marido tá aprendendo sabe, bom demais.
Grande beijo pra você e fique bem!

milton toshiba disse...

Experimente Silvia, não custa nada, mas veja se realmente são importantes as mudanças.
O tai chi também ajuda a relaxar.

Bjs

Lucia Regina das Neves disse...

Olá Silvia !!!!
Vivendo e aprendendo.
São técnicas muito boas para relaxamento,mas só você pode dizer se irá te relaxar ou te estressar mais ainda, pois te conheço um pouco e digo : você , para mim é ligada no 340 ( se existir ).
Fica com Deus
bjs
Lucia Regina

Leslie**** disse...

Eu sou igualzinha, elétrica!ahahah! e meu namorado é zen total,mas não pára.ele tá longe também,tá dando um curso de Shiatsu em Vitória,então nos falamos pela web cam,e ele me disse que toda hora to mexendo no cabelo.kkkkk!que não páro.rsss!
No meu caso acho que preciso fazer é muai thai ou tae kwon do.kkkkkk!Bjs!

Silvia Masc disse...

Lucia, 340???? Ai, ai, ai, acho que vou para um mosteiro de monjas Tibetanas... Tachau pessoal, Cris, cuide do Condomínio Longevidade! rs

Beijinho Lu, e obrigada pela sua visita.

Silvia Masc disse...

Leslie, vamos juntas então. Mas ainda bem que os nossos amores são Zen, aí há equilíbrio.

beijinho

Silvia Masc disse...

OBrigada Leci, adoro o seu bom humor.

beijinho

Silvia Masc disse...

Milton, é importante sim, ando me sentindo muito cansada, meu cérebro anda híper ativo e isso cansa.

beijinho

Silvia Masc disse...

Lu Souza, adoro "Better Together" do
jack Johnson tenho até no celular. Som bem tranquilo.

beijinho

Aloysio Nunes disse...

Olá! Vim agradecer sua visita ao meu blog. Também luto a favor dos direitos do idoso. Se preferir, siga o meu perfil no twitter: http://twitter.com/aloysio_nunes Passarei a acompanhar as suas postagens. Abraço! Aloysio Nunes

Tais Luso disse...

Oi, Silvia, uf, consegui entrar no blog, que bom!

Bem, diria que sou lerdinha fisicamente no período da manhã...Mas a cabeça já acorda a mil! Olha, não conheço mulheres muito quietas, não. Somos acostumadas a fazer tudo ao mesmo tempo, e acho que é por aí a coisa. Agora os homens... uma coisa de cada vez! É questão de articulação, amiga! Queiram ou não, conseguimos nos coordenar em quase tudo.

Beijos
Tais luso

Marilac disse...

Oii Silvia,
Eu e meu amor também estamos distantes, ele em Lisboa, eu aqui em Fortaleza.Então sei bem o que é dar graças a Deus a tanta tecnologica que nos aproxima e sem a qual muito provavelmente nem teriamos nos conhecido.
Voltando ao teu post,adorei as dicas , quero mais serenidade em minha vida.
Boa sorte no seu aprendizado de se mais zen.

Bjs
Marilac

Silvia Masc disse...

Aqui, um comentário que recebi via e-mail:...sobre a postagem que você fez sobre o trator e a pluma, vou fazer algumas considerações a respeito:
Ao ler os comentários, observo que as pessoas vêem como “mudança” ao seu jeito de ser, eu não vejo dessa forma, vejo sim como uma evolução a partir da reflexão e avaliação de algo que te incomoda, pelo tanto que te conheço, se não fosse assim, você não refletiria sobre o assunto, eu adoro o seu jeito estabanado, com um cérebro muito mais veloz que as palavras, isso muito me encantou quando te conheci, tanto é que você captou a mensagem, quando mandei o vídeo, te acho brilhante moça. Fico tranquilo, porque sei que você não vai mudar, apenas se tornar um pouco mais serena, você bem sabe que essa inquietude acaba trazendo ansiedade.
A sua inquietude te sobrecarrega, e é aí que você se cansa, mudanças podem trazer perda de identidade, e não se sustentam em alguém de tanta personalidade quanto você, aprimoramento sim traz vantagens, ficam forever.

Leny Carvalho disse...

Por e-mail:

Muito bom realmente.
Parar para analisar nosso comportamento perante família, amigos, conhecidos e
até mesmo desconhecidos é realmente muito importante.
Brecar, quando as vezes temos vontade de acerelar e passar por cima, só é a
melhor forma de percebermos a nossa evolução.

Barbie Girl disse...

Amiga,

Eu jurava que você era calminha pelo seu tom de voz, pela fala mansa e devagar... porque eu sou um terremoto de tão eletrica e falo muito e rápido... kkk

Boa suas dicas!

beijos

Ocorreu um erro neste gadget