1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

TURBINANDO A MEMÓRIA - Alzheimer (II)

25 de julho de 2008 comente

Sofrer com brancos na hora de fazer uma prova ou realizar uma apresentação em público. Esquecer compromissos, datas importantes, nomes e fisionomias. Com o estresse e o excesso de informações a que somos expostos no dia-a-dia, os lapsos de memória são cada vez mais freqüentes e, acredite, eles não têm nada a ver com a idade.

Já existem pesquisas apontando que a memória não se degenera com o passar dos anos. Um jovem de 25 anos tem apenas 3% a mais de células cerebrais que uma pessoa de 70 anos. Os neurologistas sabem que outros fatores têm muito mais influência sobre a deterioração da memória, quando em comparação à idade avançada. São eles:

  • Estresse: que produz cortisol e noradrenalina, hormônios inimigos da memória.
  • Traumas psicológicos e recalques: casos em que se esquece o que é insuportável lembrar.
  • Ansiedade e depressão.
  • Cansaço.
  • Drogas e medicamentos.

No combate aos efeitos, causados por eles, os especialistas contam com um esquadrão poderoso. A receita inclui desde uma alimentação caprichada até exercícios e comemore!

Alimentação Equilibrada


Exercícios físicos para melhorar a capacidade respiratória e, por sua vez, o fluxo sangüíneo no cérebro e sua oxigenação, os exercícios físicos regulares são amplamente recomendados.

Meditação

Aliada à respiração profunda, melhora a memória, a percepção, a concentração, a agilidade motora e reduz o estresse. Para meditar, basta reservar poucos minutos do dia, escolher um local tranqüilo e uma posição mais confortável. Preste atenção em sua respiração e não dê corda aos pensamentos que vão surgir. Tente deixar a mente em branco.Escolha a melhor técnica, e começa a meditar.


Pesquisas realizadas pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), pela Universidade de Harvard e pela Universidade da Califórnia constataram que meditar:

  • diminui o risco de infarto e derrame cerebral;
  • reforça o sistema imunológico;
  • aplaca emoções negativas, como o medo e a raiva;
  • aumenta a produção de hormônios calmantes e reduz o nível de cortisol, hormônio desencadeador do estresse;
  • auxilia a liberação de endorfina, um forte tranqüilizante que provoca a sensação de alegria e de bem-estar;
  • alivia a insônia e deixar a memória mais afiada.

Jogos

Palavras cruzadas, Su Doku, xadrez, puzzles,(quebra-cabeça) leituras diversificadas e outros exercícios que estimulem a atividade mental são essenciais para combater a falta de memória.

Terapia

Fatos traumáticos que estão esquecidos em um canto do inconsciente continuam a gerar sofrimento, isso porque eles se manifestam em outras circunstâncias aparentemente sem importância. O pai da psicanálise, Sigmund Freud, dizia que tudo aquilo sobre o qual não podemos falar torna-se um sintoma. Sofrimento recalcado é como uma ferida com pus. Vai latejar até você drená-la. Terapia é uma alternativa eficiente para esses casos.

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget