1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

É possível retardar o desenvolvimento do Mal de Alzheimer com musicoterapia.

13 de outubro de 2009 4 comentários
LONGEVIDADE
Estudos feitos nos Estados Unidos indicam que pacientes com Mal de Alzheimer talvez possam retardar o desenvolvimento da condição por meio de musicoterapia. O pesquisador Petr Janata, da Universidade da Califórnia, monitorou a atividade cerebral de um grupo de voluntários enquanto ouviam música e concluiu que a região do cérebro associada à música também está associada às memórias mais vívidas de uma pessoa. A área do cérebro parece servir de centro que liga música conhecida, memórias e emoções. Seu estudo foi publicado na edição online da revista científica Cerebral Cortex e será incluído na edição impressa da revista, ainda neste ano. Segundo Janata, a revelação pode ajudar a explicar por que música pode despertar reações fortes em pessoas com o Mal de Alzheimer. A região ativada durante o experimento, o córtex pré-frontal (logo atrás da testa), é uma das últimas áreas do cérebro a se atrofiar à medida em que a doença progride. "O que parece acontecer é que uma música conhecida serve de trilha sonora para um filme mental que começa a tocar em nossa cabeça", disse o especialista. "Ela traz de volta as lembranças de uma pessoa ou um lugar, e você pode de repente ver o rosto daquela pessoa na sua mente". "Agora podemos ver a associação entre essas duas coisas - música e memória".

E já que estamos falando em música, no vídeo abaixo. vejam que experiência interessante.
As escadas de um metrô em Estocolmo, na Suécia, se transformaram em um piano gigante. À medida que os pés pisam em um degrau, ele toca uma nota diferente. Vídeo mostra que crianças, adultos e idosos dispensaram a rolante




Fonte: BBC
LONGEVIDADE

4 comentários:

Heloísa disse...

Silvia,
Adorei essa escada musical. É um estímulo e tanto!
Quanto às pesquisas em relação à musicoterapia, torço para que sejam conclusivas. Acho que, por enquanto, o Alzheimer é um completo mistério.
Beijo.

Beth/Lilás disse...

Oi, Silvia!
Lembrei de você lá em Londres que estava simplesmente maravilhosa. Adorei aquela cidade!
E que vídeo bacana esse aí, mostrei até pro maridex agora. Estou farta de tanto entrar em buraco de metrô, mas com um assim até me animaria para amanhá aqui em Lisboa.
Deixei lá no blog uma surpresinha, veja lá.
beijos lisboetas

REGINA GOULART SANTOS disse...

Interessantíssima sua postagem. A musicoterapia é um valioso instrumento, capaz de acelerar processos de cura, e ainda, oferecer alento para as pessoas portadores do mal de Alzheimer que afeta milhões de pessoas, e é considerada até como uma doença do século.
Quanto ao piano, adoro qualquer tipo, desde aqueles mini pianos infantis, os teclados, os eletrônicos,... e finalmente, os belos de cauda.
Bem que poderiam importar esta idéia para o Brasil. Eu adoraria tocar até com os pés.
Muitos beijos

Alexander Striemer disse...

Silvia,sensacional esta escada musical!Seria uma ideia para o nosso Metró.Vamos falar com o Kassab,talvez ele topa rsrs.Alem de original é tambem um bom meio para movimentarmos um pouco mais os nossos preguiçosos corpos! Bjs

Ocorreu um erro neste gadget