1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Boas notícias sobre o cérebro dos mais velhos

9 de março de 2010 14 comentários
Se você achava que seu cérebro - diminui o ritmo a cada ano - prepare-se para uma surpresa. Nova pesquisa mostra que cérebros mais velhos são de longe mais vigorosos, flexíveis e muito mais férteis do que o esperado.
"Nosso cérebro tem a capacidade inata para se transformar não interessa a idade que estejamos", diz o neuropsicologista Marilyn Albert, Ph.D, da Escola de Medicina de Harvard. Segundo ele, grande parte das pessoas que ocupam posições de responsabilidade e poder tende a ter mais de 50 anos.

Se você quiser uma prova da potência do cérebro mais velho, conheça o jogador de xadrez suíço Viktor Korchnoi. Em agosto de 2001, o senhor de 70 anos venceu o Festival Internacional de Xadrez de Biel, na Suíça, derrotando o campeão russo Peter Svidler, de apenas 25 anos. A vitória de Korchnoi surpreendeu muitos fãs do jogo. E ele é apenas um dos exemplos.

Uma bateria de novos estudos mostram que as habilidades da linguagem, o QI, o pensamento abstrato e a expressão verbal, todos se mantêm firme com o cérebro envelhecendo, exceto quando ele sofre doenças como Parkinson e Alzheimer. De fato, quando se trata de pura agilidade mental, a capacidade do nosso cérebro pode continuar a se expandir tanto quanto vivemos.

Em uma área mantemos uma clara vantagem sobre os mais jovens: a habilidade de inserir as coisas no contexto e tomar decisões com menos informação. Já percebeu como pessoas que ocupam posições de responsibilidade e poder tendem a ter mais de 50? É a chamada sabedoria.

"Pessoas mais velhas podem processar informações e reagir a elas um pouco mais devagar. Mas esse ligeiro retardo em velocidade é mais do que normal se considerarmos a quantidade de conhecimento que se acumulou," explica Denise Park, cientista phD do Centro de Envelhecimento e Conhecimento de Ann Arbor, da Universidade de Michigan. "Ao envelhecermos, percebemos as enrascadas, refletimos mais e planejamos melhor as experiências."

O cérebro dos mais velhos pode ser comparado ao jogador de basquete americano Michael Jordan. Jordan não é o mais rápido jogador na quadra, não se eleva sobre o aro como fazia aos 20 anos, mas domina o jogo. Por uma simples razão: mudou seu estilo para maximizar sua força e minimizar suas fraquezas. Exatamente como faz o cérebro inteligente. No caso do cérebro, ele percebe suas limitações de estocagem de informações e procura otimizar o espaço para processar novos conhecimentos.

Quem tem mais idade já passou por muito mais situações do que qualquer garoto de 20 e poucos anos, o que significa que tem muito mais coisa para lembrar. E quaisquer novas memórias (o nome do cara que prometeu ligar mais tarde ou onde pôs o recibo do presente que quer trocar) têm que disputar espaço com as antigas memórias. Depois dos 60, como um resultado desse sobrecarregamento da vida , a memória é menos confiável.

O cérebro, ao envelhecer, demora mais para buscar em seu extenso arquivo a informação necessária. E, em conseqüência, leva mais tempo para agir. Esse declínio está expresso diretamente na lentidão da ação do lobo frontal do cérebro, onde os dados são processados, sortidos e a demanda revista.

O cérebro com mais tempo de vida encontrou uma reação compensar a queda em poder e velocidade. Dra. Park descobriu isso quando comparou a atividade cerebral em pessoas mais velhas e mais jovens. Em um teste, pediu-se aos sujeitos para olharem uma figura por dois segundos. Então, a figura foi retirada e para manterem a "imagem mental" dela. Depois de quatro segundos, mostrou-se a eles um pequeno fragmento da figura e perguntados se era ou não parte do original.

Os mais jovens normalmente atingiram uma pontuação maior no teste. Mas Park observou um fenômeno interessante. "Ao procurar pela figura, jovens adultos primeiramente ativam o córtex direito visual e o hemisfério direito. Os mais velhos, em contraste, ativam ambos os lados do cérebro igualmente." O que acontece, acredita Park, é que o cérebro mais velho está compensando o declínio do poder de processamento. Assim como usar duas mãos para pegar um objeto pesado em vez de uma. Por isso, eles chegaram a conclusão que "o cérebro mais velho é mais flexível do que pensamos" diz Randy McIntosh, Ph.D. e professor assistente de psicologia da Universidade de Toronto.

Fonte: revista eletrônica AARP The Magazine

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

14 comentários:

Beth/Lilás disse...

Oba! Isso é uma boa notícia e um grande alívio.
beijocas cariocas

EDUARDO POISL disse...

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios... Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua vida, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos..."
Charles Chaplin

Desejo uma linda semana com muito amor e carinho.
Abraços

Sônia Silvino disse...

Amiiiiga!
Eu ando tão esquecida que fico até assustada!
Bjkas!

Chica disse...

Isso é ótimo e esperançoso!beijos,chica

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Interessantíssimo... dessa eu não sabia... tow tomando a liberdade de copiar [com a devida referência] e enviar pros amigos via mail... ;)

Bjos, Silvia!

Dora Regina disse...

Silvia, que boa notícia, é dessas notícias que a gente precisa ler!
Obrigada!!!
Um grande abraço! :)

PS: Tenho um espaço no BUZZ(GOOGLE), posso dar essa notícia lá?

Silvia Masc disse...

É verdade Beth uma ótima notícia...
bjs

Silvia Masc disse...

Obrigada pela visita e a bela frase, Eduardo.
bjs

Silvia Masc disse...

Sônia, aqui mesmo falamos sobre exercícios de memória. Dê uma navegada...
bjs

Silvia Masc disse...

Oi Chica, vamos turbinar o cérebro... com leitura, boas conversas e principalmente bom humor.
bjs

Silvia Masc disse...

Francisco, obrigada pela visita, fique a vontade, é de fato uma boa notícia.
bjs

Silvia Masc disse...

Olá Dora, pode colocar no BUZZ(GOOGLE),sim, por favor se vc der a refer~encia do longevidade,será perfeito.
beijinho e obrigada.

*Isis* disse...

Que maxímo Silvia,
Amei ler este maravilhoso texto.
Bjinho querida.
isis

Heloísa disse...

Silvia,
Muito boa essa notícia. Espero que o resultado da pesquisa se confirme cada vez mais.
Beijo.

Ocorreu um erro neste gadget