1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Estratégias para ajudá-lo a superar a resistência de idosos que não aceitam ser cuidados (Parte 2 de 2)

5 de julho de 2013 1 comentário

Aqui estão nove estratégias para ajudá-lo a superar as objeções de um ente querido resistente:

1. Comece cedo. Normalmente, as famílias têm relaxado conversas sobre cuidar muito antes de uma crise de saúde. Procure oportunidades para fazer perguntas como: "Mamãe, onde você se vê quando envelhecer?" ou "Como você se sentiria sobre a contratação de uma empregada para que você possa ficar em sua casa?"
2. Seja paciente. Faça perguntas abertas e dê ao seu ente querido tempo para responder, diz a consultora de cuidados Mary Stehle,. "Você pode dizer:" Pai, você vai gostar de cuidar da mãe 24 horas por dia? “. Mas esteja avisado: Conversas repetitivas, podem ser dispersadas aos ouvidos e podem ser necessárias muitas conversas.
3. Sondar profundamente. Faça perguntas para determinar por que um idoso se recusa ajuda - então você pode adaptar uma solução, diz Kane. "Qual a razão dos temores? É sobre a falta de privacidade, sobre o custo, perda da independência ou a ter um estranho dentro de casa?" diz Kane. Para construir a confiança, ouvir com empatia e validar, em vez de negar os sentimentos de seu ente querido.
4. Oferecer opções. Se possível, inclua seu pai nas entrevistas. Deixe o cuidador alguns dias da semana ou períodos do dia. Enfatizar que o cuidador será um companheiro para caminhadas, concertos, visitas a museus e outras atividades favoritas. (Encontre um cuidador).
5.  Às vezes é mais fácil para um pai para conversar com um profissional ao invés de um membro da família. Não hesite em pedir a um assistente social, um médico ou enfermeiro, um sacerdote ou pastor - até mesmo um amigo de pôquer - para sugerir ao seu pai que ele precisa de ajuda.
6. Priorizar problemas. Faça duas listas, um dos problemas seu ente querido e outro para as decisões que você terá que tomar - e onde obter mais ajuda. "Se você não priorizar os seus esforços, cuidar torna-se este peso enorme", diz Cohen. Escrevê-la e numeração de prioridade pode aliviar um monte de estresse.
7. Use abordagens indiretas. Se o seu pai tem demência, oferecendo menos informação pode ser mais eficaz, às vezes. "Você pode deixar o seu pai saber que o cuidador é alguém muito útil que pode levar o seu pai para passear, dar-lhe as refeições, e ajudá-lo ao longo do dia. Você não precisa explicar todos os aspectos dos cuidados que o cuidador irá fornecer antes isto pode fazê-lo se sentir menos ameaçado ".
8. Vá devagar e e gradualmente. Comece com visitas domiciliares curtas, convide o cuidador para um café, em seguida, semanas mais tarde, deixe o cuidador  fazer companhia, sem a sua  presença. Se esse café, por exemplo, acontecer na sua casa, peça ao cuidador para acompanhar o seu pai a casa dele.
9. Aceite seus limites. Enquanto os idosos não estão pondo em perigo si ou para outrem, deixá-los fazer suas próprias escolhas, diz Cohen. "Você não pode estar ao lado de seu pai o tempo todo. Coisas ruins podem acontecer, e você não pode impedi-las", diz ela. "Você precisa aceitar limites sobre o que você pode fazer e não se sentir culpada." Pode parecer insensível, mas você criar situações de necessidade é apenas a confirmação da realidade um idoso precisa receber para entender que o cuidador é necessário.

Leitura: " "Coping with Your Difficult Older Parent: A Guide for Stressed-Out Children." - Grace Lebow (Author), Barbara Kane (Author), Irwin Lebow (Contributor)
Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

1 comentários:

Misturação - Ana Karla disse...

Faz um tempo que não passo por aqui para colher dicas construtivas e essa de hoje é importante pra mim, pois meus pais já estão avançados na idade e sei que logo, logo, vão precisar de ajuda.
Xeros

Ocorreu um erro neste gadget