1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

QUEM SOMOS NÓS DIANTE DA GRANDEZA DO UNIVERSO? por Silvia Masc

21 de julho de 2015 comente


Ao observar essa imagem, me veio a mente uma situação vivida por mim recentemente em um hospital.

Fui fazer uns exames de rotina e fui mal atendida pela garota da recepção, que achava que eu tinha obrigação de saber a localização no hospital dos andares aonde faria os exames.

(parte do diálogo)

-” Senhora, tipo assim eu não posso estar indo com a senhora, a senhora ‘tem’ que saber aonde é”. (isso dito em um volume absurdo em um guichê).


Eu sorrindo disse – Solange (li no crachá) é a primeira vez que venho aqui, não conheço o hospital, você não precisa me acompanhar, pode me dar um mapa, ou me indicar aonde é.

Nem vou reproduzir o restante, mas o fato é que ela entrou em uma sala e não mais voltou, as pessoas que estavam lá aguardando, foram solícitas e me explicaram aonde eram os andares dos exames.

Observei também um péssimo atendimento por parte de um segurança na maneira tratar principalmente com as pessoas mais humildes.

Hoje, estive na Receita Federal para pegar um documento, depois de tudo preenchido, o funcionário me disse: - O seu documento só seria expedido amanhã, mas a senhora foi tão educada, que vai sair daqui com ele prontinho. Recebi um bônus por ter agido de forma normal, estranho isso não? 

Confesso que me defendo bem nessas situações, se nada for muito grave, dou um sorriso e relaxo, quando não, exijo ser bem tratada, se não resolver saio do salto, e ainda reclamo na ouvidoria ou órgão equivalente do local, informando o nome do funcionário que assim procedeu.

O que me fez refletir é algo que observo há algum tempo, o guarda de segurança, que deve ser terceirizado, mal treinado, ganhando mal e destratando pessoas carentes como ele.

Naquele episódio horroroso ocorrido aqui em São Paulo, quando um assaltante atirou e matou uma criança boliviana, ao ler sobre o assunto, fui informada de que os patrões dessas famílias, pasmem, são outros bolivianos que também já foram submetidos no passado ao mesmo regime de semiescravidão e hoje fazem os mesmos com seus compatriotas.

Para que isso? Somos todos formiguinhas diante da grandeza universo, qual a razão de alguns se sentirem formigões?

Alguém sabe a resposta?
Obrigada por me "ouvirem".

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget