1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

O que é Parkinson?

19 de fevereiro de 2014 comente
Parkinson é uma doença neurológica que afeta os movimentos da pessoa. Causa tremores, lentidão de movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio, além de alterações na fala e na escrita. 
Não é fatal, nem contagiosa, não afeta a memória ou a capacidade intelectual. Também não há evidências de que seja hereditária. 
A doença se deve à degeneração das células situadas numa região do cérebro chamada substância negra. Essas células produzem dopamina, que conduz as correntes nervosas (neurotransmissores) ao corpo. A falta ou diminuição da dopamina afeta os movimentos do paciente, provocando os sintomas acima indicados. 
Quem tem a doença?
A doença de Parkinson pode afetar qualquer pessoa, independentemente de sexo, raça, cor ou classe social, apesar de ser mais frequente em idosos, geralmente a partir dos 50 nos. Mas, pode também acontecer nas idades mais jovens, embora os casos sejam raros. Um por cento das pessoas com mais de 65 anos têm a doença de Parkinson. 
Como diagnosticar o Parkinson? 
O médico neurologista é o profissional indicado para diagnosticar e tratar a doença de Parkinson. Seu diagnóstico é feito por meio da exclusão. Os médicos podem recomendar exames como eletroencefalograma, tomografia computadorizada, ressonância magnética, análise do líquido espinhal, para terem a certeza de que o paciente não possui nenhuma outra doença no cérebro. O diagnóstico da doença é baseado na história clínica do paciente e no exame neurológico. Não há nenhum teste específico para fazer o diagnóstico da doença de Parkinson, nem para a sua prevenção. 
Tratamento 
Até o momento não há cura para a doença. Mas ela pode e deve ser tratada, não apenas combatendo os sintomas, como também retardando o seu progresso. A grande barreira para curar o Parkinson está na própria genética humana. No cérebro, ao contrário do restante do organismo, as células não se renovam. 
Há medicamentos e cirurgias, além da fisioterapia e a terapia ocupacional que combatem os sintomas. A fonoaudiologia também é muito importante para os que têm problemas com a fala e a voz. 
O mais importante é visitar regularmente o médico, que poderá esclarecer e indicar o tratamento mais adequado para o quadro clínico do paciente. 

Fonte: Associação Brasil Parkinson

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget