1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Reclamar, não dói

10 de dezembro de 2009 7 comentários

Gosto muito de flores e sempre tenho um arranjo ou dois na minha sala de visitas. Tenho prazer em comprá-las, arrumá-las nos vasos, às vezes é difícil escolher entre tantas tão lindas. Se morasse em uma casa – e sonho com isso –, teria um jardim, além de floreiras nas janelas.

Na sexta-feira passada, comprei uma dúzia de gérberas, que são as minhas preferidas. Para minha surpresa e tristeza, descobri no dia seguinte que estavam com mofo. Sim, fungos em todo centro de cada flor.

Liguei então no sábado mesmo para a loja aonde as tinha comprado. Fui gentilmente atendida pelo Wellington, frentista de caixa, que me sugeriu:

-- A senhora pode trazê-las agora. Ou, se preferir, traga-as na terça, quando recebemos flores frescas.

Foi o que fiz hoje, terça. E, sem o menor problema, troquei-as por outras. Entendi a atitude da loja não como algo excepcional, mas o suficiente para me sentir respeitada como consumidora e cliente. Realço que o Wellington havia sido muito gentil ao telefone anteriormente.

Esse episódio levou-me a refletir sobre um comentário colocado aqui recentementemente por alguém que não se identificou. O comentário dizia sobre como as empresas se aproveitam dos idosos acenando com promessas milagrosas ou falsas promessas de serviços em todos os níveis – centro de idosos, empresas de turismo, academias de ginástica e cursos para a terceira idade.

Ligar para os Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC) ainda é pouco utilizado pelos nossos pais e avós. Isso sem considerar os péssimos serviços relacionados à espera e mau atendimento, que levam à desistência de reclamar. Entendo que podemos informá-los sobre seus direitos como consumidores, auxiliá-los e defendê-los localizando o número do SAC e, se não estiverem visíveis nas embalagens, folhetos ou sites, sugerir que reclamem disso também.

E, se em algum estabelecimento eles não forem atendidos com a dignidade e respeito que todos nós merecemos que chamem o responsável e exijam um melhor tratamento. Caso o mau atendimento persista, que "demitam" a loja ou o estabelecimento de suas vidas.

O Longevidade, disponibiliza gratuitamente a quem se interessar o manual dos Direitos dos Idosos nas Relações de Consumo, feito pelo IDEC – Instituto Brasileiro dos Diretos do Consumidor. Basta solicitar via e-mail: longevidadeblog@gmail.com

Você poderá gostar de ler:


Clientes podem demitir todos de uma empresa


Abraços,


7 comentários:

Chica disse...

Tá certo, temos que nos fazer respeitar!beijos,chica

Beth/Lilás disse...

Silvia querida,
Eu e você fazemos isso, mas já reparei que os mais velhos não o fazem, talvez por não acreditarem que serão bem atendidos ou aquele receio de ouvir muita coisa absurda, mas hoje, vejo que se a gente se coloca no mundo, se mostra que é importante, se dá verdadeiramente importância a si mesmo numa auto estima também acima, os outros assim o percebem.
Nunca tive problemas ao reclamar algo assim e sempre sou bem atendida.
Porque será?

bjs carioca

Silvia Masc disse...

Beth, eu creio que afora a falta de cultura e treinamento de funcionário de algumas empresas nem sempre o atendimento é bom, porém percebo que está melhorando, me lembro que quando fui me queixar que as torradas vinham todas quebradas, a atendente me disse que isso era ocasionado pelo manuseio do supermercado, o que me levou a lembrá-la, como era a embalagem dos cristais. E afirmei que não mais compraria, e cumpri.
Tempos depois vi que a embalagem havia mudado com uma solução simples de colocarem as torradas sobre um "berço" de papel macio, voltei então a comprar, e entrei no site para elogiar.
Creio que é a partir das nossas reclamações que as coisas ficarão melhores.
Obrigada pelo seu comentário.

Silvia Masc disse...

Complementando, me ocorreu também, que as vezes o cidadão por sentir-se lesado, fica bravo e descarrega na mocinha do SAC, a culpa não é dela viu gente? Gentileza no trato, gera gentileza.

beijos

Cristiane A. Fetter disse...

Silvia é isso aí. Nosso dinheiro é que faz o comércio funcionar, se não somos bem atendidos temos o direito de solicitar a troca e se isto não acontecer realizar uma reclamação e pedir ressarcimento por danos.
Não podemos desistir. O brasileiro tem o hábito de deixar para lá pq não quer se aborrecer, está errado tem que correr atrás para educar o comércio a nos atender bem.
E quando tudo dá certo tem que elogiar sim, como voce fez.
Não dói, não tem cheiro e não solta as tiras, rs.
bjks

Silvia Masc disse...

E reclamar, também não provoca cáries, rs

bj

Lu Souza disse...

OI Silvia...

Também reclamo quando acho que devo. Mas uma coisa importante que você citou abaixo e a forma como as pessoas reclamam. Em geral nao sabem reclamar. Descontam a sua indignação na pessoa que esta formalizando a sua queixa, tratando-as mal. Claro que desta maneira a chance de ser bem atendido é muito pequena. É preciso saber falar e nao achar que tudo se resolve "no grito ou fazendo cara de mau".
Beijos

Ocorreu um erro neste gadget