1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Especialista tira dúvidas sobre incontinência urinária

16 de março de 2011 2 comentários
Segundo a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), a doença afeta 1 em cada 25 pessoas no Brasil. Apesar dos milhões de brasileiros que sofrem diariamente com os sintomas da doença, poucos procuram orientação médica, muitas vezes por vergonha ou falta de informações.

O problema, caracterizado pela perda involuntária de urina, pode vir acompanhando ou não da Síndrome da Bexiga Hiperativa (vontade excessiva e urgente de urinar), provocando restrições pessoais e sociais, além de alterar significantemente a rotina diária dos portadores da doença. Embora os idosos apresentem o problema com mais frequência, jovens e até crianças não estão imunes à disfunção, porém a prevalência é bem menor. Para entender o que é a doença e alertar a população sobre o problema, José Carlos Truzzi, doutor em urologia pela Universidade Federal de São Paulo, respondeu algumas dúvidas sobre o problema. 

 O que é Incontinência Urinária? 

Dr. José Carlos Truzzi - A incontinência consiste na perda involuntária de urina. Existem vários tipos de incontinência urinária, como a desencadeada por tosse ou esforços físicos, a incontinência urinária associada à bexiga hiperativa, entre outros. 

 A perda de urina é um problema de idosos? 

Truzzi - Apesar da maior prevalência entre os idosos, a Incontinência Urinária não é natural do envelhecimento e pode acometer jovens, adultos, idosos, homens, mulheres e até crianças. Atualmente, por conta do aumento da expectativa de vida, são cada vez mais comuns casos de pessoas em idade ativa com Incontinência. 

A Incontinência Urinária pode levar à depressão? 

Truzzi - A perda de urina causa restrições sociais, sexuais, ocupacionais e domésticas. Os pacientes se isolam com medo de passar por situações constrangedoras em viagens, festas e até em atividades rotineiras e no trabalho. Este isolamento pode, sim, resultar em depressão. Por isso, é muito importante ficar atento aos sintomas, uma vez que muitos pacientes escondem o problema da própria família e não procuram orientação médica. 

E Bexiga Hiperativa? Como reconhecer o problema? 

Truzzi - O termo Bexiga Hiperativa é usado para caracterizar pacientes que apresentam aumento da frequência, ou número de vezes que a pessoa tem que urinar (oito ou mais) necessidade de ir rapidamente ao banheiro, tanto durante o dia quanto à noite, e às vezes, inclusive, com perda de urina, ou incontinência urinária. 

Como posso fazer para tratar a Bexiga Hiperativa? 

Truzzi - O primeiro passo é procurar um urologista. O especialista fará o seu diagnóstico e irá oferecer a melhor forma de tratamento disponível para ajudar a resolver seu problema de saúde. O tratamento pode ser feito com medicação oral, exercícios, reeducação alimentar e aplicação de Toxina Botulínica do tipo A. 

Por que devo procurar um médico urologista para diagnosticar a Bexiga Hiperativa com Incontinência Urinária? 

Truzzi - Ao contrário do que muitas pessoas pensam o urologista não cuida apenas de homens. Ele é o profissional especialista no aparelho genital masculino - enquanto o ginecologista cuida do aparelho genital feminino -, mas também é o médico que trata as disfunções da micção, como a bexiga hiperativa, por exemplo. Dessa forma, as mulheres que apresentam os sintomas também devem procurar o urologista. 

É verdade que a bexiga hiperativa pode causar insuficiência real? 

Truzzi - Sim. Em casos mais graves, principalmente secundários a doenças neurológicas, quando não tratada adequadamente, a bexiga hiperativa pode levar a um quadro de perda da função dos rins. 

Os tratamentos para Bexiga Hiperativa com Incontinência Urinária são apenas orais? 
Truzzi - Existem tratamentos orais para tratar a disfunção, no entanto, quando esses não surtem os efeitos desejados é necessário partir para outros medicamentos. A introdução da Toxina Botulínica no tratamento terapêutico da Bexiga Hiperativa com Incontinência Urinária foi o evento de maior impacto neste segmento da Urologia. O tratamento é realizado por meio de um cistoscópio (espécie de endoscópio para vias urinárias). Os efeitos da aplicação vesical da toxina botulínica duram, em média, entre seis e nove meses. 

Onde posso encontrar informações sobre a doença? 
Truzzi - Acessando o portal Controle Urinário, um site para tirar dúvidas com especialista e compreender melhor os sintomas e as opções de tratamento. Direcionado ao público leigo e à comunidade médica, o site traz conteúdo sobre o diagnóstico da doença, principais sintomas, alternativas de tratamento, depoimentos de pacientes e uma opção de busca de urologistas especializados.



Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

2 comentários:

Lu Souza Brito disse...

Bom dia Silvia,

Para mim, coincidências não existem. Isso chama sintonia.
Obrigada pelo carinho.
MUITO importante este texto. Vou conferir o portal com maiores informaçoes.
Beijos e bom dia!

Leci Irene disse...

Bom dia! Este assunto é interessante, pois realmente, é dificel ser pauta de alguma conversa, mais por vergonha mesmo!

Ocorreu um erro neste gadget