1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a principal causa de cegueira irreversível em pessoas acima de 60 anos

15 de agosto de 2011 2 comentários

Médicos recomendam que pessoas acima de 50 anos
visitem o oftalmologista ou retinólogo,
médico especialista em retina, uma vez ao ano.


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a populaçãobrasileira está envelhecendo. Se em 2000 o país tinha 1,8 milhão de pessoas com80 anos ou mais, em 2050 esse número será de 13,7 milhões. Com isso, as doençasligadas ao envelhecimento impactarão cada vez mais a população, sendo essenciala atenção a alguns problemas de saúde para a manutenção da qualidade de vida. Éo caso das doenças da visão, em especial as que acometem a retina. Uma dasprincipais é a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), principal causade cegueira irreversível em pessoas acima de 60 anos de idade1, atingindo cercade 30 milhões de pessoas2, das quais 500 mil vivem no Brasil3.
A DMRI compromete a visãodetalhada e produz uma mancha que prejudica a visão central. No estágioavançado, a doença pode limitar significativamente a autonomia do idoso,comprometendo atividades cotidianas, como ler, assistir televisão, cozinhar,caminhar e até mesmo distinguir rostos. Entre os sintomas iniciais da doençaestão visão com linhas onduladas, borramento visual e distorção de objetos.

O diagnóstico precoce éfundamental para o sucesso do tratamento dessa e outras doenças que afetam avisão dos idosos. Por isso, os médicos recomendam que as pessoas acima de 50anos consultem anualmente um oftalmologista ou retinólogo, médico especialistaem retina. “Nem sempre o paciente identifica os sintomas no início da doença,uma vez que o prejuízo de um olho pode ser compensado pelo outro. Nessesentido, as consultas periódicas ao médico são essenciais”, esclarece o médico AndréVieira Gomes, oftalmologista da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo.

Existem duas formas da DMRI, aforma mais frequente, chamada de seca, e a forma mais grave que acomete 15 a20% dos casos, chamada de exsudativa ou hemorrágica. Apesar de não existir curapara a DMRI, para a forma hemorrágica os pacientes brasileiros podem contar comtratamento eficaz e seguro, chamado de terapia antiangiogênica. “A terapiaantiangiogênica deve ser aplicada no interior do olho. Para cada grupo de 100indivíduos que começam o tratamento, em torno de 90% conseguem estabilizar avisão e cerca de 35% desses pacientes conseguem ter algum ganho de visão”,afirma o médico André Vieira Gomes.

As informações contidas neste texto têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

Fonte: Laboratório Novartis,através da In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação

Referência Bibliográfica
Kanski, JJ. Oftalmologia clínica.Uma abordagem sistemática. 6ªed. Elsevier.
Klein BE, Klein R, Lee KE.lncidence of age-related cataract: the Beaver Dam Eye Study. Arch Ophthalmol.1998;116(2):219-25.
Laatikainen L, Hirvelä H.Prevalence and visual consequences of macular changes in a population aged 70years and older. Acta Ophthalmol Scand. 1995;73 (2):105-10.


Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

2 comentários:

Beth/Lilás disse...

Minha amiga, muito bem lembrado este post!
Semana passada fiz este exame para ver como estava minha retina. Ainda é cedo para operar, posso esperar mais um pouquinho, mas tenho uma amiga que a mãe dela tem este problema "Mácula" e já está enxergando muito pouco.
As pessoas não devem se esquecer de fazer este exame anualmente.
bjs cariocas
]

Luma Rosa disse...

Sívia, além de melhorar a alimentação para evitar oxidação das células e liberar os radicais livres, os oftalmologistas pedem que seja usado óculos de sol para filtrar os raios solares. Existe uma certa relação já que há um número maior de pessoas de olhos claros com a doença. Os olhos claros captam mais os raios solares e são mais sensíveis. Acho que devemos evitar o excesso de exposição também à luz dos monitores.
Muito bom artigo! Beijus,

Ocorreu um erro neste gadget