1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

5 coisas que você nunca deve dizer a uma pessoa com a doença de Alzheimer (tradução e adaptação Silvia Masc)

2 de agosto de 2013 comente
Ontem à tarde, eu entrei no quarto espaçoso pertencente à Maria, uma mulher com demência que tem poucos visitantes e com quem eu ofereci para passar um pouco de tempo a cada semana. Cumprimentei-a, elogiei  a sua bela camisola azul-turquesa, e apertei a mão dela.
Então, sentei-me em sua pequena mesa que estava transbordando de livros, fotografias, artigos de jornal e os outros pertences que ela quer manter por perto. Comecei pegando uma pequena foto emoldurada de Maria com o marido e três filhos - dois filhos e uma filha.
"Conte-me sobre a sua filha," eu disse, usando uma pergunta aberta, porque elas não têm respostas certas ou erradas. Essa é uma dica que aprendi.

"Ah, o nome dela é Regina," ela me disse. "Ela tem quatro filhos - dois meninos e duas meninas."
Ela continuou me dando vários detalhes sobre Regina e sua família. Eu, então, peguei uma fotografia de Maria e de sua irmã gêmea, Renata, e ela me contou sobre como elas tiveram aulas de piano juntas quando eram crianças. Após alguns minutos, perguntei-lhe se a filha tocava algum instrumento musical.
"Eu não tenho uma filha", disse ela com naturalidade.
"Oh," eu rebati, pegando a foto de família novamente e segurando-a para ela ver. "Você acabou de me dizer que você tem uma filha. Aqui está ela."

O rosto de Maria caiu e ela disse bem baixinho, "Eu acho que eu tenho uma filha.”.
Eu imediatamente senti pena e me recriminei por ter apontado o erro dela, causando à ela constrangimento. Eu percebi que tinha apenas quebrado uma das regras fundamentais para interagir com uma pessoa que tem demência.

Quando se relaciona a uma pessoa com a doença de Alzheimer, existem muitas orientações a seguir. Vou discutir cinco das mais básicas aqui:
 1) Não diga a elas que estão errados sobre algo,
 2) Não discuta com elas,
 3) Não pergunte se elas se lembram de algo,
 4) Não lembrar-lhes que o seu cônjuge, pai ou outro ente querido está morto, e
5) Não conversar sobre assuntos  que possam perturbá-los.

Não diga a elas que estão errados sobre alguma coisa: Para que a pessoa salvar a  sua imagem, é melhor não contradizer ou corrigi-los se elas dizem alguma coisa errada. Não há nenhuma boa razão para fazer isso. Se elas estão alerta o suficiente, elas vão perceber que cometeram  um erro e se sentem mal por isso. Mesmo se elas não entendem o seu erro, corrigi-los pode constranger ou ser de outra forma desagradável para elas.

Não discuta com a pessoa: nunca é uma boa ideia discutir com uma pessoa que tem demência. Primeiro de tudo, você não pode ganhar. E segundo, ela provavelmente irá perturbar-se ou até mesmo irritar-se. Mude de assunto - de preferência algo agradável e que prenda a sua atenção. Dessa forma, a pessoa provavelmente vai esquecer tudo sobre a discordância.

Não pergunte se ela se lembra de uma coisa: Quando se fala com uma pessoa que tem a doença de Alzheimer, é tão tentador para perguntar-lhes se ela se lembra de alguma pessoa ou evento. "O que você tem para o almoço?" "O que você fez hoje de manhã?" "Você se lembra de que tinha barras de chocolate quando visitei na semana passada?" "Este é o João. Lembra-se dele?" É claro que não se lembram. Caso contrário, ela não teria um diagnóstico de demência.
Ela pode constranger-se ou frustrar-se quando não se lembra. É melhor dizer: "Eu me lembro de que nós tivemos doce a última vez que estive aqui. Foi delicioso.”.

Não lembrar a pessoa de que um ente querido está morto: Não é incomum para as pessoas com demência a acreditar que seu cônjuge falecido, pai ou outro ente querido ainda está vivo. Elas podem confundir-se ou sentir-se mal que a pessoa não vem visitar. Se você informá-las que a pessoa está morta, elas podem não acreditar e tornar-se irritadas com você. Se elas acreditam em você provavelmente vão ficar muito tristes com a notícia. Além do mais, elas estão propensas a esquecer tão rápido o que você disse e voltar a acreditar que cônjuge  ou querido ainda está vivo.

Não trazer outros temas que possam incomodá-los: Não há nenhuma razão para trazer temas que você conhece que podem perturbar as pessoas com demência. Só elas podem acender uma discussão, que vai novamente a segunda diretriz acima. Você não vai prevalecer e é só lhes podem causar raiva e / ou frustração.

Espero que as sugestões sejam úteis, enriquecendo o tempo que vocês estiverem juntos.
Fonte A Memoir of Love. : Traduzido e adaptado por Silvia Masc
Marie Marley é autora premiada com o livro A Memoir of Love, ainda não traduzido para o português, uma pena, pois é de uma riqueza ímpar para cuidadores.



Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget