1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

O final do ano e o aumento das taxas de estresse

18 de dezembro de 2008 comente

Rua 25 de março em São Paulo (Dezembro)


Para algumas pessoas, o final do ano é um verdadeiro teste de resistência emocional e física. A maratona de preocupações com festas e viagens de férias, balanço profissional, final de curso e início de projetos são, sem dúvida, a principal causa do estresse e ansiedade. De acordo com dados do Isma-BR (International Stress Management Association, Brasil), o nível de estresse aumenta, em média, 75% nesse período.

Em 2008, os especialistas acreditam que a crise econômica mundial será outro fator relevante para o aumento da taxa.

Na opinião do cardiologista Rafael Munerato, do Hospital Santa Paula, a primeira medida é tentar preservar a qualidade do sono. “Ler os jornais ou assistir aos noticiários somente no período da manhã é uma medida que pelo menos ajudará a baixar a ansiedade no período noturno, contribuindo para um sono restaurador. Quem fica antenado o dia inteiro às opiniões de um e de outro, acaba levando tudo isso para a cama e sofrendo de insônia.

Nada pior para o coração e para a saúde em geral”. “Quando a pessoa não consegue superar os momentos difíceis, é comum apresentar baixa imunidade para gripes e resfriados, alergias, obesidade, problemas de pele, hormonais, cardíacos e gástricos. A boa notícia é que, ao reagir rapidamente, a saúde também começa a voltar ao normal”, diz o médico.

Munerato aponta como você pode controlar alguns hábitos para que a crise econômica não se transforme em ‘estado crítico de saúde’. Mais do que nunca é necessário praticar exercícios. Em tempos de crise, quem não pode se matricular numa academia tem a opção de programar caminhadas de 30 a 40 minutos, três vezes por semana.

Depois que pegam gosto e sentem os efeitos positivos, as pessoas costumam estender esse tempo para uma hora.

Aumente a consciência sobre seu corpo e suas reações. Assim, você conseguirá driblar a vontade de fumar – sabendo que o ideal é parar de vez – e de ingerir bebidas alcoólicas. O fumo e o álcool, somados ao estresse, agem como uma bomba-relógio contra a sua saúde.

Há um padrão de pessoa que abusa dos doces quando bate a ansiedade. Pois estamos no exato momento de controlar a gula por chocolates e outras delícias gastronômicas. Prefira uma alimentação frugal. Controlar a mente também é indicado.

Exercícios de respiração e relaxamento são indicados para quem precisa baixar os níveis de ansiedade. Reserve alguns minutos durante o dia, de preferência à noite, para dar atenção à mente. Inspire e expire calmamente, procurando esvaziar a mente das notícias ruins absorvidas durante o período. Além disso, evite a ingestão de café, álcool e alguns tipos de chá (preto e mate) à noite, a fim de favorecer o sono.


Fonte: Dr. Rafael Munerato, médico cardiologista e diretor técnico do Hospital Santa Paula (SP)

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget