1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Minha sábia e amorosa tia.

21 de fevereiro de 2009 5 comentários


"Ternura, é quando alguém nos olha e os seus olhos brilham como duas estrelas "(Dicionário Amoroso - Luiz Gonzaga Pinheiro)

Quando meu avô faleceu, a minha tia Vera, assumiu os cuidados da minha avó, e já cuidava também da sogra , ambas idosas.
Em uma viagem de férias, me hospedei na casa da tia e após o almoço, me ofereci para lavar a louça, e fui informada que essa tarefa diariamente cabia a vovó e a Dna. Aparecida, (sogra). Na minha ignorância sobre a compreensão dos idosos, achei que elas deveriam ser poupadas, mas como visita, não me manifestei.

Observei também, que enquanto uma lavava a outra enxugava e guardava toda a louça em um único compartimento de um enorme armário de uma cozinha bem planejada, aquilo também me intrigou, pondo em dúvida a organização da casa da minha tia.

Após a lavagem da louça, as duas senhorinhas tomaram banho e foram tirar um cochilinho.
Minha tia então me deu uma grande lição de respeito aos mais velhos, quando começou a tirar do armário, toda a louça que as senhoras tinham lavado, aí me explicou.

- Eu não quero privá-las de sentir-se úteis, por outro lado, elas não enxergam mais tão bem, portanto não lavam a louça direito, quando elas dormem, eu faço o processo novamente, sem que elas saibam. Daí a idéia de colocar em um único lugar, para não sujar a louça limpa dos armários.

Uma atitude tão simples, mas de um valor imenso, a minha avó e Dna. Aparecida, foram muito felizes na casa da minha tia, sentiam-se úteis, à elas, eram atribuídas tarefas leves, para não dar-lhes a sensação que é comum aos idosos, quando moram com os filhos, de estarem sendo um "peso", pregavam botões, molhavam as plantas e toda manhã, iam até a padaria, o que era motivo de riso, porque uma comprava o pão e a outra saía em seguida para comprar o leite, aos nossos olhos nada prático, mas aos olhos de amor e sabedoria dos meus tios, era a forma correta.
E era tão bonito ouvi-las contarem orgulhosas da colaboração que prestavam.

Uma lição que jamais vou me esquecer.


obrigada tia, obrigada tio



5 comentários:

Daniel Costa disse...

Silvia

Gostei de ler o texto, encerra a lição de que os mais velhos têm prazer em ser úteis, sendo a eles próprios. Também tenho prazer em aprender, assim coo terás tido.
Daniel

Drica disse...

Com os pais que tem e uma tia dessas, só podia dar nisso né??? Uma fofa essa tia hein?
Bom dia e beijo

Luiz disse...

Oi, Sílvia,
Vamos ver se consigo encaminhar meu comentário desta vez. Meu problema está na hora de escolher um perfil.
Em primeiro lugar, teu blog parece vinho -- e dos bons. A cada "período de vida" ele melhora. Parabéns e continue com esse empenho, que serve como lição de vida para todos nós.
Sobre teu texto-tia, uma maravilha. O que acontece, aliás, com todo texto escrito com tinta do coração. Histórias desse tipo humanizam o blog e reforçam a intimidade que deve existir entre amigos. Beijo.
Luiz

Gaspar de Jesus disse...

SILVIA adorei essa sua História de Vida.
O respeito que nos devem merecer os mais velhos...
Exemplo maravilhoso.
Parabéns
Bjs
G.J.

Dirce e Pedro disse...

Linda esta histórinha, me emocionei. Um grande beijo

Estivemos viajando e só agora vimos o novo Espaço, parabéns ficou lindo.

Ocorreu um erro neste gadget