1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

É o amor.....

3 de março de 2009 3 comentários


Estudo reforça que o afeto acalma o coração, previne doenças e eleva a autoestima

O amor, comprovadamente, faz bem ao coração. A conclusão vem de um estudo realizado por um hospital da Georgia, nos EUA. Os pesquisadores constataram que pessoas que não possuem nenhum tipo de relação de afeto tem duas vezes mais chances de contrair problemas cardíacos.

No Brasil, médicos assinam embaixo. Desde sempre, o amor está ligado ao coração. Embora a Ciência tenha descoberto que é o cérebro que comanda todas as reações emotivas, dependendo da intensidade da emoção, é o coração que adoece. Assim, especialistas reforçam a importância do amor.

Segundo a cardiologista Marisa Amato, o amor traz emoções que tranquilizam o coração. “As reações ao amor levam a descargas neuro-hormonais que fazem bem para todo o organismo e, principalmente, para o coração. Emoções essas que trazem paz e segurança” explica a médica.

E vale qualquer tipo de amor. De pai, de filho, de amigo, até do vizinho. O que o coração precisa é de bons sentimentos. “As emoções relacionadas ao amor levam ao relaxamento muscular, voz suave, vaso dilatação, relaxamento intestinal, secreção glandular, salivação, ou seja, manifestações que previnem as doenças cardiovasculares”, diz a Dra. Marisa.

Assim como o amor beneficia o coração, sentimentos contrários, como a depressão, a solidão e o estresse podem acarretar sérios problemas de saúde. “Se o estresse for crônico, o organismo passa a trabalhar constantemente com freqüência cardíaca e pressão arterial elevadas, podendo ocorrer sérios danos, não só para o coração como também para todo o organismo”.

Além de fazer bem para o coração, o amor faz bem para a pele, para o cabelo e, principalmente, dá um banho na autoestima. . “Um pequeno detalhe pode ser visto com bons olhos e ser motivo de alegria, assim como o mesmo feito visto por outro ângulo pode trazer infelicidade. Uma simples refeição dividida a dois pode trazer motivos de muitos assuntos e diversos projetos, ao passo que sozinho a pessoa persiste sempre com os mesmos pensamentos”, finaliza a cardiologista.

O site da Dra. Marisa Amato www.checkup.med.br vale a pena conferir: informações, vídeos, testes interessantes, entre eles o de grau de dependência de fumo.

3 comentários:

Cristiane A. Fetter disse...

Em compensação a falta de amor e solidão só trazem tristezas.
Mas muitas vezes o difícil é encontrar o amor e quem já o encontrou deve cultivá-lo.
adorei o post.
bjks

disse...

Linda essa matéria. Vem bem de encontro com o momento que estou passando.
E é com todo o amor dos meus e todos vocês que eu tenho certeza que vou ficar curada, pois eu graças ao bom Deus sou muito amada e melhor que ser amada eu amo muito a todos.
Te amo minha linda, obrigada por seu carinho!
Rô!

Daniel Costa disse...

Silvia

O estudo vem demonstrar, que ao fim e ao cabo, sentir que se é amado, dá estabilidade emocional, o que já se sabia, mas a definição, digamos o diagnóstico, depois de estudado chegou.
Daniel

Ocorreu um erro neste gadget