1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Zumbido

3 de junho de 2009 1 comentário

Certo dia você começa a perceber um pequeno chiado ou assobio insistente. Pergunta aos colegas se também se deram conta do barulhinho e acha estranho porque é a única pessoa que está ouvindo o som estranho.

Da primeira vez, o incômodo não chega a permanecer muito tempo, mas dias depois, ele insiste a ponto de você ficar irritado e procurar um especialista.
Ao contrário do que se imagina, o ruído insistente que muitas vezes atrapalha tarefas simples do cotidiano e chega até causar estresse por conta disso não representa uma doença, mas sim um distúrbio, e tem como principal causa problemas auditivos.

Sua origem também está relacionada a outros fatores, como o abuso do consumo de cafeína e chocolate, problemas odontológicos, na coluna cervical e musculares na cabeça e pescoço.

O problema não só está nos barulhos cotidianos, mas também em ouvir o mp3 como alternativa para se livrar da poluição sonora, pois muita gente coloca a música em um volume mais alto do que já está nas ruas.

"O som do motor de um carro ligado é de aproximadamente 85 decibéis, ou seja, para encobrir esse barulho a pessoa iria ouvir a música no mp3, no mínimo, com um som de 90 decibéis, o que já poderia causar danos auditivos, dependendo do tempo de exposição", exemplifica Mariene Terume Umeoka Hidaka, diretora da Faculdade de Fonoaudiologia da PUC-Campinas.

Os fones de ouvido estão entre os mais prejudiciais porque carregam sons de até 120 decibéis diretamente para o tímpano, isso contribui para que o zumbido ocorra antes de provocar alguma perda da audição mais perceptível.

De acordo com a fonoaudióloga Isabela Gomes, exames e testes de audição (audiometria) conduzido por fonoaudiólogos são usados para confirmar o mal. O zumbido é amenizado com a adoção de algumas ações terapêuticas, como a Terapia de Habituação do Zumbido, em que o paciente aprende a não perceber os sons de forma intensa.

A terapia é uma forma de os pacientes não focarem sua atenção ao zumbido. Lembrando que apenas fonoaudiólogos e médicos com formação em TRT estão habilitados para aplicar este tratamento. Conforme o caso também são usado medicamentos e a acupuntura. Alguns pacientes do Ambulatório de Zumbido do Hospital das Clínicas de São Paulo já utilizaram a fisioterapia no tratamento.


Mariene Terume Umeoka Hidaka, diretora da Faculdade de Fonoaudiologia da PUC-Campinas.
SAÚDE DO OUVIDOSAÚDE DO OUVIDO

1 comentários:

JAIRCLOPES disse...

Gostei do texto, tenho zumbido insistente nos ouvidos que, parece, está relacionado a "trauma auditivo" seja lá o que isso queira dizer. Textos assim são muito esclarecedores.

Ocorreu um erro neste gadget