1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

O futuro a você pertence

7 de agosto de 2013 1 comentário
Nos anos 60 e 70, a cultura pop celebrava a juventude de uma maneira visceral. Ser velho era percebido como uma espécie de pecado capital. Em 1965, os roqueiros da banda inglesa The Who bradavam: “Hope I die before I get old” (“espero morrer antes de envelhecer”), verso da canção “My Generation”, e milhões de garotos e garotas, hoje senhores e senhoras com mais de 60 anos, repetiam em coro, como se pudessem congelar aquela época. Uma famosa manifestação contra a velhice veio de Mick Jagger, na década de 70. No auge de seus 30 e poucos anos, o líder dos Rolling Stones declarava em alto e bom som: “Prefiro morrer a cantar ‘Satisfaction’ aos 45”.

Quase cinco décadas mais tarde, para muita gente, envelhecer ainda soa como um tabu. Mas a possibilidade de morrer relativamente jovem fica cada vez mais distante. De lá para cá, muita coisa mudou. Nos anos 60, a expectativa média no mundo era de se chegar aos 68 anos. Em 2012, vive-se, em geral, 79 anos, segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os roqueiros que o digam. Hoje sessentões – alguns, setentões –, Stones e companhia ainda estão na ativa e celebram o bom e velho rock’n’roll com a mesma energia da juventude.

Continua aqui

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

1 comentários:

Tais Luso disse...

Oi, Silvia, vi o show do roqueiro e pensei a mesma coisa: tá igual, com a mesma vitalidade, impressionante. Nossa longevidade já nos proporciona isso, prolongar nossas atividades por muito mais tempo. E o roqueiro parece mais louco do que nunca... rsss. Deus que o conserve!

Beijos!!

Ocorreu um erro neste gadget