1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Cuidar à distância

20 de outubro de 2009 2 comentários
LONGEVIDADE
A tarefa de ajudar na saúde e no conforto de pai, mãe ou outros parentes de idade avançada e que moram longe parece difícil e desgastante. Mas para quem não abre mão de estar próximo emocionalmente, mesmo a quilômetros de distancia, o trabalho tem suas recompensas.

Com a mobilidade geográfica de filhos netos, sobrinhos, irmãos e outros parentes, a situação é cada vez mais comum. Tanto que a American Association for Retired People (AARP, algo como Associação Americana para Aposentados), dos Estados Unidos, lançou uma cartilha de dicas para ajudar a tornar mais fácil e prazerosa a administração desses cuidados.

O que vale lá, também se aplica a realidades brasileiras.

- Converse se não pessoalmente, por telefone, com o(s) médico(s) do ente querido. Saiba qual o estado de saúde do paciente, o histórico, se há cuidados necessários, se algum remédio foi prescrito. Deixe seus números com o especialista para que ele saiba que pode contatá-lo, se for preciso.

- Tenha anotados dados sobre o plano de saúde - o tipo de plano, o contrato, o número de identificação, o telefone de contato - e o número de seguridade social.

- Informe-se sobre as implicações financeiras e legais do tratamento. Colete informações pelo telefone e pela internet. Elabore, junto com outros familiares, uma lista de serviços de saúde e de assistência no local em que o ente mora.

- Mantenha uma conta conjunta para o caso de emergências, um de vocês pode sacar dinheiro ou realizar um pagamento para o outro.

- Faça uma lista de contatos: família, amigos, vizinhos e quem mais possa ajudar. Na sua próxima visita, apresente-se a essas pessoas e guarde o telefone e o endereço de cada uma. Se, em algum momento, você não conseguir estar em contato com seu parente, ligar para essas pessoas pode deixá-lo mais tranqüilo.

- Use essa rede de contatos para os casos de emergência, mas também veja a possibilidade de receber ajuda em tarefas corriqueiras, como levar ao médico para uma consulta de rotina ou até mesmo verificar se é necessário repor algum item na casa da pessoa que requer cuidados.

Encontrar pessoas na mesma situação que você ajuda a manter a calma e achar soluções quando for preciso. Comunidades de apoio, universidades abertas à terceira idade, cursos de cuidadores de idosos são algumas instituições que podem fornecer sugestões interessantes. Pesquise na internet uma na sua região.

Um dos mais atuantes centros de apoio e cuidado com o idoso é a Associação de Parentes e Amigos de Pessoas com Alzheimer, Doenças Similares e Idosos Dependentes (APAZ).

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG)- também é uma referência em especialistas em cuidados com idosos.

Considere os sentimentos e pontos de vista da mãe, pai ou do parente que está sendo cuidado. Lidar com questões de saúde e fragilidade pode ser frustrante. É importante manter um foco positivo. Caso sinta necessidade de intervir, explique que os serviços e cuidados vão ajudá-lo a se manter independente. Esclareça como eles funcionam, mas considere, sempre, a opinião dele/a (s).

Cuide das suas próprias necessidades. Aprenda a buscar ajuda e aconselhamento quando precisar. Tenha tempo para você mesmo. O mais importante é garantir a você o crédito por ter feito o melhor que pôde.

E quando for visitar, não deixe de observar o estado físico e emocional do seu parente.

SBGG

APAZ

Fonte: Cuidando a distância (em inglês)

longevidade

2 comentários:

Heloísa disse...

Sílvia,
Dicas muito boas.
Beijo.

luanabelusso disse...

Sílvia, achei seu blog por acaso na net, pesquisando preços de barras laterais para banheiros... moro no Pará e minha avó no Rio Grande do Sul, hoje pensei muito nela, e lembrei que sua casa não está bem adaptada às suas necessidades como idosa, principalmente sobre como evitar quedas.
Adorei seu blog, já está aqui nos meus favoritos e amanhã mesmo vou mostrar para minha mãe e tios...
Se você puder, por favor, me enviar algum material que explique as adaptacoes minimas que podem ser realizadas no sentido de evitar as quedas, ficarei muito grata.