1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Dores da alma a diferença entre a tristeza e a depressão

31 de julho de 2012 comente
Mais do que uma simples tristeza, a pessoa que sofre de depressão apresenta uma série de sintomas que resultam em uma total perda de interesse pela vida. Ela afeta o número impressionante de mais de 120 milhões de pessoas no mundo todo – 10 milhões só no Brasil, segundo o Ministério da Saúde (MS)

Confundir tristeza com depressão é comum até para o próprio paciente, mas as características são bem diferentes. De acordo com o psiquiatra especialista em depressão pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) Antônio Egídio Nardi, "a tristeza é um sentimento humano normal que não compromete nosso raciocínio ou desempenho. Quando estamos tristes e recebemos uma boa notícia, melhoramos o nosso humor. A depressão é um transtorno do humor grave e frequente. A depressão pode se iniciar vagarosamente, assemelhando-se a uma tristeza mais intensa, acompanhada de vários outros sintomas, como desinteresse, alterações do apetite e do sono, dificuldade de concentração, entre outros".

1. A pessoa triste reage a situações do ambiente. A depressão pode aparecer após uma situação desagradável de perda, ou mais comumente, sem qualquer justificativa. Entretanto, mesmo quando associada a um fator precipitante, o grau de tristeza na depressão é desproporcional e sua duração é prolongada.

2. Durante o período de tristeza nos alegramos com situações ou notícias positivas, o que não ocorre durante a depressão. Mesmo acontecimentos agradáveis são interpretados de forma negativa por portadores da doença.

3. A tristeza melhora com o tempo, em poucas horas ou dias. A depressão pode durar meses, anos ou uma vida inteira.

4. Facilmente podemos compreender alguém que está triste após uma perda. Não conseguimos é compreender que uma pessoa sem maiores problemas, às vezes até em situações invejadas, permaneça deprimida e sem esperança.

5. Não há ideia de suicídio na tristeza. A depressão pode ser letal. Aproximadamente 15% dos deprimidos graves se matam.

6. Podemos controlar nossa tristeza com um pouco de força de vontade. Quando nos sentimos tristes procuramos situações e companhias que nos alegrem. A depressão é mais forte que a vontade. Quando tentamos alegrar o paciente deprimido, levá-lo para locais de lazer ou insistir que ele se ajude, aumentamos sua irritação, seu mal-estar e ele não apresenta melhora dos sintomas.
Por Ilana Ramos

Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget