1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Senado regulamenta profissão de cuidador de idoso

18 de setembro de 2012 1 comentário

Pelo projeto, o cuidador é um profissional que desempenha funções de acompanhamento e assistência exclusivamente à pessoa idosa. 
O Senado deu o primeiro passo para a regulamentação profissional do cuidador de idoso nesta quarta-feira (12). O projeto de lei foi aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais e agora segue para avaliação da Câmara dos Deputados.

Pelo projeto, o cuidador é um profissional que desempenha funções de acompanhamento e assistência exclusivamente à pessoa idosa. Ele terá de prestar apoio emocional e na convivência social do idoso.

É determinado também o auxílio e acompanhamento na realização de rotinas de higiene pessoal, ambiental e de nutrição, além de auxiliar o idoso nos cuidados de saúde preventivos, administração de medicamentos e outros procedimentos de saúde.

A proposta estabelece que o cuidador prestará serviço na casa do assistido, em instituições de longa permanência, hospitais e centros de saúde. Os cuidadores deverão acompanhar seus pacientes em eventos culturais e sociais.
Estão credenciadas para exercer a profissão pessoas com mais de 18 anos que tenham cursado o ensino fundamental e realizado o curso de cuidador do idoso em instituições de ensino reconhecidas por órgão público federal, estadual ou municipal.

Profissionalização
A regulamentação da profissão é um dos objetivos da categoria. A profissão de cuidador é definida na CBO (classificação brasileira de ocupações) como trabalhador doméstico. Porém ainda não existe uma padronização sobre quais os direitos e deveres dos profissionais, nem sobre os pré-requisitos para exercer a função. De acordo com a categoria, o projeto de lei diverge quanto ao piso salarial da profissão, a formação mínima do cuidador e a necessidade da orientação de um profissional da medicina para que um cuidador que não tem um curso de enfermagem possa atuar.

A professora da Universidade de São Paulo (USP) Yeda Duarte, que dá aulas para cuidadores na Escola de Enfermagem desde a década de 1990, diz acreditar que a falta de uma formação adequada do profissional pode gerar muito estresse, tanto para o idoso como para seu cuidador.
Ele pode enfrentar situações críticas, como uma piora da saúde da pessoa que recebe cuidados, ou se machucar ao tentar ajudar o idoso de forma errada. Afirma


Sinta-se em casa e deixe seu comentário.

1 comentários:

Heloísa disse...

Silvia,
Com o aumento da expectativa de vida, essa vai ser uma profissão de grande importância.
O fundamental é que os cuidadores sejam muito bem treinados, para que realmente tenham profissionalismo.
Beijo.

Ocorreu um erro neste gadget