1.o Colocado "LONGEVIDADE HISTÓRIAS DE VIDA BRADESCO SEGUROS" 2012

Sol: o mocinho e o vilão da saúde

19 de novembro de 2008 comente



Ele pode ser rotulado de vilão a mocinho em segundos. Tudo depende da dose, como nos remédios. Diariamente silenciosamente, o sol, além de beneficiar a saúde, pode contribuir, e muito, no aparecimento de doenças. Mesmo sem ainda dar muito o ar da graça por aqui, o Brasil está às vésperas do verão, estação em que o convite para sair da toca é prontamente atendido por qualquer um. Por isso, toda a atenção quanto à prevenção é necessária.

Além de garantir um bronzeado extra à pele, o sol é importante para os ossos. Você sabia que a falta de exposição solar contribui para a deficiência de vitamina D no organismo? Pois é, e essa falta pode acarretar em doenças graves como raquitismo, osteomalácia e osteoporose, por exemplo. No entanto, pegar sol demais também não é lá recomendado. Além de tumores, a exposição demasiada ao sol sem proteção causa envelhecimento. Sem contar que cerca de 90% dos casos de câncer de pele são encontrados nos braços, colo, mãos e rosto devido à exposição errônea.

A sugestão aqui, então, é moderar. Especialistas recomendam a exposição diária ao sol de, pelo menos, 15 minutos para prevenir doenças e ajudar no combate à caspa, à seborréia ou à depressão. Porém, se expor desprotegido ao sol, principalmente das 10h às 16h, é abrir chances maiores ao desenvolvimento de outras doenças, e até mais graves. Conhecidos da população por nomes, os raios UVA e UVB são grandes vilões relacionados ao câncer de pele - de maior incidência no País, e avançando cada vez mais em homens.

A melhor forma de se prevenir é usar regularmente o filtro solar, em camadas mais grossas, mesmo que a pele fique esbranquiçada, pelo menos meia hora antes de se expor ao sol e repita o filtro a cada 2 horas.


Leia mais aqui


0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget